Oiterone, dos Negativos para os Muros

6/03/2017

Mohamed L’Ghacham, também conhecido como Oiterone, é um artista multidisciplinar que combina pintura clássica e fotografia com o muralismo, a linguagem e a técnica das ruas. 

oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-3

Mohamed nasceu no Marrocos, mas desde sua infância vive em Mataró, um município que fica na província de Barcelona, na Espanha.

O artista teve seu primeiro contato com a pintura aos 8 anos ainda na época de escola. Também foi nesta época que começou a sair com os amigos para fazer tags e pichos nas ruas da sua cidade… tudo isso apenas por diversão.  

oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-5

Com o passar do tempo, seu interesse se voltou mais para a pintura clássica que era ensinada na escola, deixando o graffiti ensinado nas ruas em segundo plano.

A partir daí, Oiterone começou a estudar a pintura clássica mais a fundo. Ele se encantou com as poses estáticas e cores sóbrias, e com o material usado nessas criações, como o pincel e a tinta a óleo. Essas técnicas traziam à vida obras que lhe pareciam vivas e orgânicas, um resultado bem diferente do obtido com as latas de spray utilizadas no graffiti.

oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-6 oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-10

Porém, com o tempo, o artista conseguiu replicar o estilo clássico que tanto gosta em murais que ficam simplesmente sensacionais! Na sua percepção, mesmo sendo esteticamente bem distantes, a pintura clássica e a street art possuem as mesmas raízes, retratando emoções, histórias e mensagens.

Outro fator que foi incorporado à arte de Oiterone foi a sua coleção de negativos de filmes antigos. Seus murais refletem perfeitamente este conceito idealizado pelo artista.

oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-1

Para explicar melhor essa relação do negativo de filmes fotográficos com o graffiti, vale ressaltar que Mohamed acha bem curiosa a falta de preparo que havia nas fotos tiradas de cenas cotidianas amadoras de antigamente. Isto pois, não era possível ver como o resultado da fotografia ficou até que ela fosse revelada.

Atualmente, como tudo é instantâneo na fotografia digital, de acordo com o artista, perdeu-se um pouco da espontaneidade, um fator que trazia mais vida à fotografia.

oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-14

Enfim, tendo isto em mente, Oiterone busca recuperar imagens das velhas câmeras analógicas na sua arte. Ele acredita que assim consegue encontrar momentos mais naturais, sinceros e, sobretudo, caseiros. Estas referências estão super presentes tanto nos seus murais quanto nos seus quadros.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Mohamed L’Ghacham que mescla pintura clássica com graffiti e fotografias analógicas, não deixe de conferir sua fanpage no Facebook e seu Instagram.

oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-2oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-9oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-13 oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-12 oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-8 oiterone-mohamed-lghacham-mural-graffiti-canvas-arte-fotografia-11